You are here

Visitas e provas: a expansão de conhecimentos vinda do "Trips to Origin"

News
26.09.2019

Conhecer o Brasil, suas terras, seus processos e, principalmente, a história de seus cafés e cafeicultores. Essa é a descoberta dos torrefadores que participam do "Trips to Origin" da Nucoffee.

 

 

 Ao saírem de seus países, com destino ao Brasil, esses profissionais se abrem para o desconhecido universo dos cafés brasileiros, dispostos a saber mais sobre nossa variedade de sabor e qualidade.

 

 O que acontece aqui? Uma agradável quebra de paradigmas e abertura para novos conhecimentos. 

 

 A história da primeira turma, do “Trips” 2019, envolve um torrefador que vive no universo do café desde que nasceu. 

 

 Peter van den Berg, dono da loja São Paulo Coffee Roaster, é antigo degustador de cafés brasileiros. Não à toa sua cafeteria, fundada há mais de 100 anos por seus antepassados, leva o nome da maior metrópole do País. 

 

 Em sua primeira visita ao Brasil, Peter esteve na Alta Mogiana (interior de São Paulo), à convite da Nucoffee, para conhecer os processos brasileiros e estabelecer uma conexão real com os cafeicultores da região, como o Márcio Resende, da Fazenda Limeira, e o Ismael Nogueira, da Fazenda Aleluia.

 

  Acostumado a utilizar os grãos do Brasil, Peter comentou que o café brasileiro também é complexo, um tipo de café que os consumidores belgas apreciam. 

 

 O torrefador contou que quer expandir seus horizontes e trabalhar com outras origens de cafés do País, além das que já está habituado e que aproveitou a ocasião para avaliar variedade, preços e qualidade, além de conhecer de perto a origem dos cafés.

 

  "Isso é novo para mim também, mas é muito importante saber de onde vem o café e ter um bom relacionamento com os produtores". 

 

 Peter relembrou que, durante o Trips, pôde ver os diferentes jeitos com os quais os fazendeiros produzem café, as soluções de pós-colheita do Márcio, que decidiu unir a sustentabilidade econômica à social, e as alternativas tecnológicas e as boas relações entre colaboradores que estão presentes na Fazenda Aleluia, do Ismael, que aposta em um olhar de integração dentro da sua produção, sem abrir mão de inovações em seus maquinários e produtos.

 

   Ele ressaltou, ainda, a agradável surpresa que teve ao passar pelas sessões de provas. "Eu uso o café brasileiro há muito tempo, mas não sabia que também havia tanta variedade de cafés especiais por aqui. Nesses dias, provei alguns bons cafés especiais aqui no Brasil. Foi incrível! Adorei ter vindo e já estou ansioso para voltar".

 

  Enquanto Peter não volta para uma segunda experiência no Brasil, quem teve a sensação de retornar às terras brasileiras foi o importador Alexandre Figueiredo, parceiro da Nucoffee há dois anos.

 

  Alexandre é brasileiro, mas mora na Polônia há quase uma década. O importador acompanhou a visita de um grupo de torrefadores poloneses à região do Sul e Cerrado de Minas, na  segunda turma do "Trips to Origin" 2019, e falou um pouco sobre a experiência.

 

  - Qual a importância da parceria com a Nucoffee para você? 

 

 Com essa parceria com a Nucoffee, temos a possibilidade de trabalhar com todas as regiões produtoras de café no Brasil, importando diferentes tipos de cafés. Outro ponto positivo é poder participar de viagens como o “Trips”, conhecendo pessoas renomadas da pesquisa do café e fazendas produtoras, mostrando para os torrefadores que nos acompanham que os cafés brasileiros estão se desenvolvendo em suas versões especiais. 

 

 - Como é visto o café brasileiro, hoje, na Polônia?  

 

 Apesar de ser um café muito consumido por lá, chegando a cerca de 80%, ainda existe um estigma de que o café brasileiro tem um gosto muito similar, padrão. E esse estigma foi quebrado com o “Trips”. Nossos companheiros torrefadores poloneses gostaram muito dos cafés que experimentaram aqui, e puderam provar cafés com várias notas, variando com frutas cítricas, florais, cremosos. Fizeram provas diferentes do que estavam imaginando, acima do esperado. 

 

 - Quais as expectativas do grupo para essa visita do “Trips”? 

 

 Viemos em busca de conhecer as origens e selecionar cafés de alta qualidade para atender expressos, para sair do expresso básico, e também os cafés de alta pontuação e os fermentados, que vêm entrando bem no mercado polonês.Para isso, passamos por diversas fazendas e pela Universidade de Lavras, também acompanhamos processos de pós-colheita em uma fazenda onde 30% dos cafés passam pelo processo de fermentação.Os torrefadores ficaram muito satisfeitos com tudo que viram.  

 

 

Agradecimento

 

 

A Nucoffee agradece todos os produtores que participaram do “Trips to Origin” em 2019, pela parceria e, sobretudo, gentileza de abrirem as portas de suas fazendas e de suas vidas nesse encontro inesquecível. Nosso muito obrigado aos parceiros: 

 

Fazenda Labareda – Gabriel Afonso

Fazenda Boa Vista - Orlando Zanneti

Fazenda Santo Antônio – João Toledo

São Benedito Estate Coffee – Mariana de Carvalho Junqueira

Fazenda Grota Funda - Glaucio Carneiro Pinto

Fazenda Central – Alessandro de Oliveira

Canastra Coffee – Pedro Braz

Fazenda Bom Sucesso  –  Luis Claudio Guerra 

Fazenda Pântano –  Grupo Naimeg 

Fazenda Nunes Coffee - Gabriel Nunes 

Fazenda Vitoria – Luiz Augusto Monguilod

Fazenda Marrecos - Antônio Francisquini Baptista